Abaixo às it-girls, viva às it-women!

Desde o começo deste blog (se você perdeu o começo, clica ali em cima em “Sobre o blog”), eu afirmo que não acredito em it-girls. Tive que me curvar à Blake Lively, concordo (veja o que eu falei sobre ela aqui), mas foi só. Não acredito que uma mulher ganhe fama porque se veste bem e pronto. Até aí, eu também me visto bem poxa!

Enfim, revoltas a parte, hoje eu estava lendo a ELLE deste mês e me encantei com uma matéria sobre as it-women. Mulheres que representam não somente se vestir bem, mas estilo de vida bem sucedido. Entre as que a matéria apresenta, gostaria de destacar – ou apresentar, para quem não as conhece – duas it-women sensacionais: Claudia Schiffer e Inès de La Fressange.

Claudia Schiffer se tornou top nos anos 80, ao lado de Tyra Banks, Linda Evangelista e companhia. A loira entrou para o Guinness Book como a modelo que mais estampou capas de revista. Hoje, seu trabalho é longe das passarelas, mas dentro do mundo da moda: Claudia ~e musa do site de compras de luxo Net-a-porter e tem sua própria marca de roupas. Ou seja, o sucesso vai além de se vestir bem e ser uma top model: ela é empreendedora, um exemplo (pelo menos na parte do trabalho. Namorar de David Cooperfield a Axl Rose…melhor deixar pra lá…)

Já Inès de La Fressange ( ou Inès Marie Laetitia Isabelle Églantine de Seignard de La Fressange…que nome rico, meu Deus rs) foi a primeira modelo a assinar um contrato de exclusividade com uma marca, no caso a Chanel. Desfilou por muitos anos, mas hoje ela é designer e consultora de moda. Mas não faz tanto tempo assim que ela pisou em uma passarela: Inès desfilou em 2009 para Jean-Paul Gaultier e em 2011, aos 51 anos, para a Chanel. Isso é ser chique!

Acho que se há uma it-woman brasileira esta mulher é Isabella Fiorentino. Símbolo de elegância, estreou nas passarelas aos 13 anos, estampou capas de revistas e desfilou para marcas como Reinaldo Lourenço e Tufi Duek. Hoje, é empresária, apresentadora de TV de licença (neste ano, a it-woman deu a luz aos seus trigêmeos) e autora de um livro que é um verdadeiro guia de estilo de bolso, repleto de dicas certeiras. Vale a pena procurar em lojas e bancas de jornal, sério.

Dicas para ser uma it-woman agora ou no futuro

Vá além do seu campo de atuação. É modelo? Faça um curso de história da moda para entender as referências das roupas que você usa. A ideia é não se prender ao mínimo necessário, que nunca levou ninguém a lugar nenhum.

– Saiba que você não precisa ter 20 anos para ser moderna. Nem passar dos 30 para ser elegante.

Não se prenda a modismos. As semanas de moda vêm como uma enxurrada de tendências, mas você não precisa nunca sair na rua como se tivesse sido vomitada por uma onda fashion. Teste tudo e eleja o que funciona em você. Ter conhecimento sobre si mesma é a melhor coisa.

Gostou? Concordou? Discordou? Comente!

E digo mais: ganhei o livro da Inès de la Fressange de Natal o/

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s