Playlist: happy birthday, Apple!

Pensou que a #SemanaApple tinha acabado? Aqui a festa continua mesmo depois da data em si! E nada de playlist de fim de festa: dona Gabriela, agora com 19 anos completos, preparou uma lista de músicas pra lá de especial, com suas bandas favoritas. Vem que está demais!

“Quando a Carol me lembrou que um dos posts semanais do Além das Tendências era uma playlist, eu fiquei animada na hora! Até eu começar a listar todos os artistas que eu queria colocar… Então a Carol, bondosa como é – e depois de eu espernear um pouco –, cedeu e, como estou fazendo 19 anos (cronológicos, não mentais haha) a minha playlist tem 19 músicas.

Mas quem disse que isso facilitou minha vida? Agora não bastava só listar todas as bandas, cantores e cantoras que eu escuto. Eu ia ser obrigada a excluir alguns para caber na lista! É ou não é uma crueldade? E ser eclética nessas horas não me ajudou: minha playlist tinha Iggy Azalea, Marcelo Jeneci, System Of a Down e RBD seguidos – e eu ainda pensava em como colocar Caetano no meio.

Então a dona do blog mais uma vez surgiu com outra condição tentando ajudar: restringiu a playlist para 19 bandas, apenas. Nada de cantores e cantoras, só bandas. E foi o que eu fiz: uma banda para cada primavera.

  1. Another One Bites The Dust – Queen

Para já começar bem a playlist. Queen sempre fez parte da minha vida de um jeito ou de outro; meu pai escuta, minha irmã também e é a banda favorita de uma das minhas amigas mais próximas – que não está tão próxima assim no momento e que eu morro de saudade, mas tudo bem. Volta logo, Carol <3. Ah, além do fato de dizerem por aí que o Freddie Mercury não morreu e que eu sou uma das filhas dele, mas isso é detalhe.

foto1

Parece que minha mãe está casando com o Freddie Mercury, mas na verdade é o meu pai mesmo

*Só um adendo: Freddie Mercury e Michael Jackson. Sim, esse encontro aconteceu meus queridos e foi fantástico! Ouçam: State Of Shock

  1. Learning To Fly – Pink Floyd

E agora temos a banda que eu escuto e fico pensando no sentido da vida (que por acaso é 5’3’ – ta, parei). Foi difícil escolher uma música para colocar aqui. Principalmente considerando que a maioria das que eu mais ouço tem mais de 5min e/ou são divididas em duas partes. A playlist já tem 19 músicas, não pode ficar ainda mais longa. Optei por essa música para representar toda a visão e progressão do Pink Floyd – e, claro, relembrar as brigas e processos do Waters depois que os integrantes da formação responsável, por exemplo, pelo “Dark Side Of The Moon” começaram a dispersar.  Enjoy!

  1. Arabella – Arctic Monkeys

Sério, estou no aguardo de um CD novo tão bom quanto o “AM”. Como eu falei no post sobre o “X”, é fácil fazer uma ou duas músicas de sucesso, mas uma boa obra completa é difícil de achar. “AM” foi uma dessas raridades. Com a letra e o ritmo, já aviso: “Arabella” vai te dar vontade de escutar mais de uma vez.

  1. Queens Of Noise – The Runaways

Ah, o girl power! A história da banda é incrível – recomendo o filme estrelado por Dakota Fanning e Kristen Stewart – e o sucesso foi merecido, as meninas eram muito boas. E foi graças a isso que contamos, por exemplo, com Joan Jett até hoje no cenário musical como referência.

Aqui está uma belíssima transmissão que remete à falecida TV Manchete. Aquela da Xuxa Verde, sabe?

foto2

  1. Miss Nothing – The Pretty Reckless

Ainda sobre girlpower, mas que agora só é representado pela vocalista, The Pretty Reckless é uma das poucas bandas novas de rock que não decepcionam se compararmos com as antigas. Mas não as culpo, muita coisa boa já foi lançada e muitas vezes as pessoas fecham a mente para o novo – em muitos aspectos, não só na música. A banda é liderada por Taylor Momsen, que já foi assim:

foto3

Saudades little Jenny, saudades Gossip Girl

  1. Paradise City – Guns’n Roses

Te desafio a ouvir essa música sem cantar junto. E, acreditem se quiser, graças ao YouTube e o acesso aos clipes antigos que vieram junto com ele, esse clipe foi responsável por um dos meus primeiros registros de fangirling – não vou falar “de quando eu era mais nova” porque estou fazendo 19, não 190. E não, nada de Axl que hoje em dia faz a Britney e adere ao playback, meu negócio mesmo era o Slash haha. Comprar o “Appetite For Destruction” no sebo foi um achado e descobri muitas músicas ótimas, mas “Paradise City” ainda é uma das favoritas.

  1. We Exist – Arcade Fire

Que banda, que letra, que música, que clipe! É muito amor. Com uma mensagem forte e um clipe super poético, Arcade Fire acerta mais uma vez. A polêmica participação do ator Andrew Garfield que protagoniza o clipe no papel de uma transexual  fez o clipe bombar ainda mais, o que é ótimo: abre um debate sobre questões tão importantes como homofobia e aceitação. A música por si só é ótima, mas recomendo que veja o clipe junto.

  1. B.Y.O.B. – System Of A Down

Pensa em uma criança feliz de 9 anos que assistia Mtv esperando clipes do System Of A Down e do Nightwish – saudades Tarja – para poder ficar pulando e – eu realmente achava que estava – cantando na sala de casa. Minha irmã sempre enche a boca para falar que me criou bem quando o assunto é música e é verdade, mas debandei para o lado “dos gritos” – como diria minha mãe – sozinha. System é e sempre foi uma das minhas bandas favoritas, em especial quando eu fui crescendo e entendendo o cunho crítico da banda e, principalmente, do Serj. Fiquei muito tempo pensando em que música deles colocar, mas optei por B.Y.O.B. porque, como vocês puderam perceber, me deixa nostálgica.

  1. Thanks For The Memories – Fall Out Boy

E por falar em pular na sala de casa, bandas mais novas também tinham esse efeito na minha pessoa. Fall Out Boy é um exemplo disso. E depois que eles gravaram um cover fantástico de “Beat It”, pronto: passaram a ser presença constante no meu moderno MP3 que era algo parecido com esse aqui:

foto4

E sim, eu também já tive discman (?.) Que eu usava para ouvir os CDs do Evanescence e da Avril Lavigne da minha irmã. E depois eles reapareciam misteriosamente nas coisas dela, desculpa Carol.

  1. Undisclosed Desires – Muse

Confesso que só fui conhecer Muse por “Supermassive Black Hole” – exatamente, aquela que tem na trilha sonora de “Twilight” -, mas depois que comecei a ouvir não parei mais. E “Undisclosed Desires” é mais um caso de amor por letra+música, dispensando comentários adicionais.

  1. Woo Hoo – Kings Of Leon

Esse “woo hoo” da música vai ficar na sua cabeça para sempre e eu sinto muito por isso – ou não. A voz do Caleb é um absurdo, sério. No melhor sentido! Ele tem um timbre diferente, muito bom de ouvir. E fora que a banda tem muita música boa. Então para de ouvir “Use Somebody” um pouco e dá uma olhada no resto que você não vai se arrepender.

  1. We Are Who We Are – Little Mix

Sim, agora peço licença para uma girlband – eu falei que eu sou eclética. As Spice Girls da minha geração começaram a carreira ganhando o reallity X-Factor britânico e agora estão aí, sendo lindas e encantando todo mundo com seus vozeirões – sério, elas cantam muito.

  1. Rude – MAGIC!

O que dizer de MAGIC! que mal conheço e já considero pacas? Com essa música a banda estourou no ano passado trazendo toda uma good vibe para nós. Recomendo o CD todo, “Don’t Kill The Magic”. Você vai ficar mais feliz depois de ouvir um pouco de reggae fusion, sério – ou não.

  1. Smile – McFLY

Caso MAGIC! não funcione, essa pode ser uma boa opção para te deixar feliz. Essa música é um amor, assim como a banda. ~FANGIRLING ALERT~ Como não amar esses caras? Sério, como? Em meio a muitas vindas para o Brasil – que por acaso não consegui ir em nenhuma -, fanfics e outras paradas, McFLY é uma constante nas minhas músicas não importa o que mais tenha.

  1. The City Is At War – Cobra Starship

Agora o ~FANGIRLING ALERT~não será mais desligado. Junto com o Fall Out Boy e a banda que vem em seguida aqui na playlist, Cobra Starship é uma daquelas bandas alternativas meio eletrônicas tão boas de ouvir. E, para a minha alegria, as três bandas são da mesma gravadora então sempre rola um bromance entre os integrantes e uma influência direta nas músicas das 3 bandas, me fazendo explodir em fangirling, óbvio.

  1. I Write Sins, Not Tragedies – Panic! At The Disco

Se você me conhece, estava só esperando o Panic! aparecer por aqui. E, se conhece ao menos a banda, deve estar tipo “ah, mas tanta música para colocar e põe logo essa!”. Sim! E tem um motivo (além é claro da banda contar com um vocalista que tem a voz mais linda que eu já ouvi): dia 17 de janeiro de 2006, quando eu fazia 10 primaveras, a música foi lançada. O primeiro single do primeiro CD da banda – e também a única música deles que eu ouvi nas rádios até hoje, mas isso é só um triste detalhe – faz aniversário junto comigo, não é lindo?

  1. S.O.S. – Jonas Brothers

Haters gonna hate, mas sendo uma playlist minha não podia faltar. Gente… Que fase a deles nesse clipe. Hoje eu dou risada, mas quando saiu e eu assistia no Disney Channel quase morria de amores, especialmente pelo Kevin – que sempre foi o meu favorito.

E eu também ia ao delírio e dava gritinhos histéricos neste momento do Joe:

foto5

¯\_(ツ)_/¯

  1. Wake Up Call – Maroon 5

Como fangirling pouco é bobagem, não posso esquecer do Maroon 5 nesta linda playlist que – para a sua alegria – finalmente está acabando. Junto com o Brendon Urie do P!ATD e com um moço que será citado em breve, Adam Levine fecha a minha santíssima trindade de moços bonitos.  E não é pra menos, né? “Wake Up Call”, assim como toda e qualquer música do M5, tem aquele quê de música chiclete. E o clipe – meio lyric vídeo para você acompanhar e cantar junto – assim como praticamente todo e qualquer clipe do M5, tem uma historinha cheia de sangue e super envolvente para o seu deleite.

1.Closer To The Edge – Thirty Seconds To Mars

Ah, MARS… Os maiores responsáveis pelo meu alto nível de fangirling nos últimos tempos – especialmente no ano passado, em que a passagem deles pelo Brasil, com certeza, foi o ponto alto do meu ano. O som diferente e toda a pegada simbolista que envolve a banda é muito interessante, é artístico. Eu poderia falar por horas sobre tudo e todos que essa banda me trouxe, vou deixar o clipe e a música falarem por mim. Ah! Mas faltava citar um moço bonito: Jared Leto – o cara que, a não ser que você tenha passado o ano de 2014 em uma caverna se isolando do que estava acontecendo no mundo, com certeza ouviu ou leu o nome pelo menos uma vez provavelmente por causa disso:

foto6

Ou talvez por isso:

foto7

My jaroconda don’t

Ou, já neste ano, você deve ter visto o penteado dele no Golden Globes – que aliás, você pode conferir um post inteirinho do Além Das Tendências sobre os looks da premiação (aqui):

foto8

E nisso que eu quero que você foque agora: nos penteados do Jared. Quando comecei a escutar a banda, na época do CD “A Beautiful Lie” – excelente, por sinal -, o Jared era mais ou menos assim:

foto9

Todo trabalhado no look ~*eMuXiNhUu*~ digno de quem tinha fotolog, mas era em 2005 então dá para perdoar – detalhe que eu já achava ele lindo assim.

E anos depois, na turnê “Into The Wild”, Jared aderiu ao meu look favorito que é o que você pode observar no clipe que eu coloquei aqui: o moicano rosa – eu realmente achava a coisa mais linda, sem brincadeira. E era a mesma época em que o cabeludo da banda ainda era o Tomo:

foto10

A banda definitivamente não é só o Jared:

foto11

Queria aproveitar este momento para me desculpar com todas as pessoas que foram obrigadas a me ouvir falar do MARS e/ou do Jared e aguentar meus ataques de fangirling 24 horas por dia no ano passado. Ah! E também mandar um beijo para o Echelon Proud, que não só me aguentava como também compartilhava do fangirling haha  ❤

Você achou que tinha acabado? Pois é, não – sorry, hehe. Preciso colocar um cantor aqui. Aliás, não só cantor: um artista. Um cara que meus pais me ensinaram a gostar e eu cresci escutando e admirando – e que também faz muita falta. Então segura essa FAIXA BÔNUS:

You Rock My World – Michael Jackson (amo essa música e esse clipe, principalmente pela participação especial do Chris Tucker)

Agora você realmente achou que tinha acabado, né? Então… hahaha

Juro que é a última.

**FAIXA BÔNUS SÓ PARA OS FROM HELL**

Eu fui pesquisar: R$20,00. Vinte reais. Esse foi o dinheiro que eu gastei no show deles – aliás, que meus pais gastaram porque eu tinha 13 ou 14 anos e não trabalhava. Vinte reais que não voltam mais.

Restart – Recomeçar

Eu era super adepta do rock colorido, olha só. Bom, R$20,00, horas na fila embaixo de sol em um domingo para depois ter meu cabelo, então longo e solto, preso no suvaco de uma desconhecida.  Pois é. Com isso eu aprendi: nunca mais fui com o cabelo solto em shows. Ah! E que a gente deve escolher muito – MUITO – bem com o que gastar o suado dinheirinho dos nossos pais.

Ficou a experiência, né? E não é disso que se tratam os anos que passam? Não é disso que se trata a vida? Experiências. Então, um feliz aniversário para mim! E que venham muitas outras novas experiências e histórias para contar.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s