Read, watch, love: Criatividade S.A.

Oba, é dia de falar de livros ❤

E depois de já ter recomendado a leitura de Criatividade S.A. para mais de três pessoas acho que dá pra perceber que eu gostei bastante dele rs. Para quem não conhece, este livro foi escrito por Ed Catmull, presidente da Disney Animation e da Pixar Animation Studios. É bom para quem gosta de desenhos animados e é bom para quem é (ou pretende ser) líder dentro de um grupo ou empresa.

617wmdLWVcL._SL1358_

Confesso que não foi uma leitura fácil, afinal é um livro de negócios e eu não sou nenhuma empresária (ainda haha). Porém, além de curiosidades dos bastidores da Pixar (<3 ❤ <3), alguns ensinamentos de Catmull ao longo do livro me pareceram bem úteis não apenas para gerentes, diretores, CEOs e qualquer outro desses chefes: são coisas que deveriam se aplicar à vida profissional em qualquer nível.

O ensinamento básico de Ed Catmull é sinceridade sempre. É preciso ser honesto com quem trabalha com você, ou as chances de o trabalho não chegar a lugar nenhum são grandes. A falsidade impede as críticas construtivas: um fica com medo de comentar o trabalho do outro, sendo que muito poderia ser feito se uma tarefa fosse pensada em conjunto. Catmull descreve um setor da Pixar (que, após a fusão, também foi criado na Disney) chamado Banco de Cérebros: são diretores, produtores, roteiristas ou qualquer pessoa que possa contribuir na concepção de um filme. Eles se reunem ao longo da produção de um longa ou curta-metragem e dão retorno ao diretor do filme sobre o trabalho que ele está fazendo, sem medo de “conversinhas” posteriores. Nas palavras do próprio Catmull, “se há mais verdade nos corredores do que nas reuniões, você tem um problema”.

Outro conhecimento interessante vem de um dos componentes quase fixos do Banco de Cérebros da Pixar: Andrew Stanton. Ele, que é animador e roteirista (seu trabalho mais famoso é Procurando Nemo), costuma dizer que fracassar é bom, e que é preciso que se cometa erros e fracasse o quanto antes na produção de um trabalho. Só assim a equipe – ou você – aprende alguma coisa e consegue reverter o quadro a tempo de salvar seu trabalho e criar algo realmente incrível.

Dory-white

Continue a nadar, continue a nadar, para achar a solução, continue a nadar, nadar, nadar

Aqui entra a parte da experiência própria: ano passado foi o ano do #projetomonografia, e a caminhada feita até sua conclusão teve diversos percalços. Eu mudei de tema cinco vezes ao longo do processo. Cinco. A última delas foi faltando três meses para entregar o trabalho (claro que essa foi a menos brusca de todas, mas foi uma mudança também). Se eu tivesse errado logo no começo do ano e delimitado meu tema o quanto antes, teria tido mais tranquilidade para fazer meu trabalho. Errar tarde, mesmo que pouco, teve consequências, mas no final deu tudo certo. Ufa 😀

Fica a dica e que venham outras leituras! E você, se interessou por Criatividade S.A.? Qual livro você leu e acabou aprendendo coisas que não imaginava que iria aprender? Comente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s