Bullet journal: 7 desculpas esfarrapadas para não ter um

No final deste ano, completo três anos usando o método bullet journal, criado pelo americano Ryder Carroll e que viralizou em imagens lindas pelo Pinterest afora. Justamente por conta desses “cadernos aspiracionais”, muita gente começou a achar que não leva jeito para aderir ao bujo – como ele é carinhosamente chamado. A verdade é que todo mundo pode ter o seu – e que eu, ao longo desse período, cansei de ouvir algumas desculpas que as pessoas dão para não começar o bullet journal. Gente que elogia e admira o que eu faço, mas que não começa por razões que, sinceramente, não dá mais para defender. Eis 7 delas:

 

1 – Minha letra não é bonita

As outras pessoas podem não entender sua letra, você pode ter pesadelos com sua professora de português do primário e cadernos de caligrafia, mas uma coisa é certa: sua letra é sua. Pode ser parecida com a de alguém, pode ser que ninguém a entenda, mas ela é sua. E o seu bujo tem que ter a sua letra, do jeitinho que ela é. Pare de se comparar aos “letterings” que dominam as redes sociais, ok?

 

2 – Não tenho tempo para fazer isso

Se você não arrumar um tempo para se organizar, você nunca terá tempo para nada. É um fato. Você precisa, sim, reservar um tempo para listar seus compromissos e tarefas, e o bullet journal serve exatamente para isso.

 

3 – Vou esperar o próximo mês/ano, aí eu começo!

Essa é uma das belezas do método: você pode começar a usar quando quiser! Pode ser hoje, inclusive! Como ele um caderno personalizado, você pode começar sua agenda no momento em que desejar. O que nos leva à próxima desculpa esfarrapada…

 

4 – Para que fazer um bullet journal se eu posso comprar uma agenda pronta?

Pela mesma razão! O bujo é sua chance de ter uma agenda do jeito que você quer e precisa. Quantas agendas suas ficaram com páginas em branco? E aquelas páginas do começo, tipo “pesos e medidas”, que não servem para nada? Se você esquecer ou não puder por alguma razão escrever um dia no seu bullet journal, simplesmente comece de novo no dia seguinte. Sem traumas, apenas siga o baile – além disso, as árvores que caem para virar papel agradecem seu uso consciente dele.

 

5 – Para que escrever se eu posso ter tudo no smartphone?

Essa é uma desculpa controversa, porque realmente varia de pessoa para pessoa. Tem gente que prefere se organizar em agendas digitais ou aplicativos, isso funciona para elas. Agora eu sou assim: se não escrevi, eu esqueci. Demorei anos para aprender como colocar lembretes no celular, e eles seguem sendo inúteis para mim. Para não ficar perdida em um mundo de caderninhos e post-its, o bullet journal concentra minhas anotações e listas. Pronto, agora eu não me esqueço de nada!

 

6 – Não vou gastar dinheiro com um monte de adesivos e canetas coloridas

Eu sou a louca da papelaria, mas você pode não ser. E, novamente, não deixe Pinterest e Instagram te influenciarem. Ou melhor, acesse apenas uma conta do Instagram: a do Ryder Carroll, criador do método de organização. O bullet journal dele é simples, preto no branco, sem firulas. O seu também pode ser assim.

 

7 – Não consigo fazer isso, não sou tão organizado

Mas gente, é para isso que o bujo serve! Para se organizar!

 

Agora pare de inventar história, arrume um caderno e comece – clicando aqui, tem dicas de como criar o seu. E se tiver dúvidas ou comentários, me conta?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s